Translate

Promoção

sexta-feira, 9 de março de 2018

Ronda, Espanha

Ronda situa-se no cimo de uma montanha, a cerca de 100 km da cidade de Málaga, com uma população de aproximadamente 35 mil habitantes.

É uma das cidades mais bonitas e visitadas de Espanha (a terceira cidade mais visitada da Andaluzia) e é tida como a cidade-berço das touradas.


 
Foi Julio César quem declarou a cidade de Ronda (Acinipo) pela primeira vez, no século I aC. Quando as tropas mouras, sob o comando de Tarik-ibn-Zeyad, invadiram a região em 8C, uma das primeiras rotas que se seguiram foi o antigo romano, que liga Gibraltar com o assentamento romano de Acinipo.

Eles mudaram o nome da cidade para Izna-Rand-Onda - Ronda. As ruínas de Acinipo estão localizadas a 20 km da moderna Ronda.

O que visitar?

A Nova Ponte (Puente Nuevo)

Com vistas inesquecíveis sobre o Tajo de Ronda ( um profundo
desfiladeiro por onde corre o rio Guadalevín ao longo de 500 metros), o Puente Nuevo foi completado em 1793 e levou quarenta e dois anos para construir, permitindo ligar zona antiga de Ronda com a nova. Sem dúvida, é o maior e mais famoso monumento de Ronda.

O Parador está localizado ao lado da ponte e de lá pode contemplar uma perspetiva sobre o Tajo.


Através de um pequeno percurso, desça ao longo do curso do rio Guadalevín pelo Caminho dos Moinhos (Camino de Los Molinos). As vistas são espetaculares, e durante a primavera o vale é um tapete de flores.

Entrada: € 2.50

Praça de Touros de Ronda

A praça de touros da Real Maestranza é uma das mais antigas e pitorescas de Espanha. Foi construída em 1785 pelo arquiteto José Martín de Aldehuela, o mesmo arquiteto que construiu o Puente Nuevo. Tem capacidade para 5.000 espectadores.

A praça de touros tem um museu e visitas guiadas com áudio.




O preço do ingresso é de € 7 por pessoa e € 8,50 com áudio-guia.

Banhos Árabes

Os banhos árabes de Ronda são dos mais bem preservados de Espanha. Foram construídos no final do século 13 durante o reinado do rei Abomelik. A caldeira utilizada para aquecer a água ainda existe e permanece em boas condições. As aberturas no telhado em forma de estrela foram inspiradas nos banhos de Alhambra, em Granada.



Os banhos ficam localizados no quarteirão árabe da cidade, conhecido como a zona de San Miguel.

Endereço - Calle Molino de Alarcón, s / n.


Entrada: € 3,75 / pessoa

Palácio Mondragon

No Palácio de Mondragón encontra- o museu municipal e alguns jardins verdadeiramente excecionais. Construído em 1314 pelo Rei Abomelik, mais tarde foi usado como residência principal dos reis de Isabella e Ferdinand.



O museu é dedicado à história de Ronda, com exemplos de túmulos romanos e árabes. Os jardins são um paraíso de tranquilidade.


Endereço - Plaza de Mondragón, 5.

Entrada: € 3.75 / pessoa. Às terças-feiras a entrada é gratuita a partir das 15h para cidadãos europeus.

Palacio del Rey Moro y La Mina


Diz a lenda que esta era a residência do rei Almonated, sítio onde se diz que bebia o vinho diretamente dos crânios dos inimigos.. Embora investigações mais recentes indicarem que o rei nunca viveu no palácio. Os jardins foram desenhados pelo mesmo arquiteto francês que desenhou o Parque Maria Luisa em Sevilha, Jean Claude Forestier.


Os jardins dão acesso a La Mina, uma escadaria com 231 degraus que levam a um rio.

Durante vários séculos, La Mina foi a única fonte de água da cidade. Eram os escravos, que acorrentados, transportavam a água para cima.
Esta zona teve uma importância vital na história de Ronda. Foi a partir daqui que as tropas cristãs forçaram caminho em 1485.

Endereço - Calle Santo Domingo, 9

Muralhas árabes e portões da cidade

Ao longo da história, Ronda foi uma das cidades mais resistentes da Andaluzia. Em boa parte graças à sua posição geográfica, mas também devido a uma série de fortificações e acessos de proteção especialmente construídos pelos árabes durante a era islâmica. À medida que a cidade crescia, mais muralhas e portões eram construídos.



Aqueles que visitavam Ronda durante o período Muçulmano entravam para a cidade através da Ponte Árabe, o único acesso que dá para o centro da cidade e que hoje se faz por uma antiga Puerta de la Cijara. A portada para a maior e melhor protegida cidade era a de Almocabar. O seu nome vem do cemitério árabe (al-maqabir), que estava situado nesta parte da cidade. A porta de Almocabar encara o mar e Gibraltar, de onde se controlam todas as entradas e saídas por via marítima.


As paredes de Carmen foram recentemente renovadas. Ali se podem encontrar numerosos eventos culturais e é está situada a Igreja do Espirito Santo.

Plaza Duquesa de Parcent

A Plaza Duquesa de Parcent é a praça mais pitoresca de Ronda, e é muito rica em monumentos históricos. A igreja de Santa María la Mayor é a mais notável. Uma igreja que levou mais de 200 anos para construir e é uma mistura de estilos góticos e renascentistas.



Outros lugares recomendados são a Plaza del Socorro, a praça em frente à Puerta de la Almocábar e nos arredores da Calle Nueva.

Jardins de Cuenca

O Jardines de Cuenca estão localizados nas margens do Tajo e é distribuído através de uma série de terraços. As vistas são fantásticas e oferecem uma perspetiva única e diferente da cidade.



Os terraços foram dedicados à cidade irmã de Ronda: Cuenca. Foi assinado um acordo em 1975 entre ambas as cidades com este propósito urbanístico.

 Miradouro de Aldehuela e Balcón del Coño

Um dos pontos de vista mais populares da cidade e com uma boa razão. As vistas para o desfiladeiro, o Puente Nuevo e arredores são espetaculares.

O miradouro foi nomeado em homenagem ao arquiteto José Martín de Aldehuela. O mesmo arquiteto que construiu a praça de touros, a Ponte Nova e terminou a catedral de Málaga, entre outros projetos.



O miradouro de Balcón del Puno é outro que não deve ser desperdiçado. Dizem que todos os que olham para fora, exclama “¡coño!”.

Ruínas de Acinipo

A 20 km de Ronda ficam as ruínas do antigo assentamento romano de Acinipo. Há um grande teatro que data do século I dC. O nome 'Acinipo' significa a 'cidade do vinho', e foi uma das poucas cidades do Império Romano que fez com que o vinho fosse exportado para Roma.



Endereço - Carretera de Sevilla (20 km de Ronda). A entrada é gratuita.

Cueva del Gato, Benaoján

A Cueva del gato é o lugar para se refrescar após uma manhã quente a passear em Ronda.



Esta é a mais recente atração adicionada à lista de Monumentos Naturais da Andaluzia, com as piscinas naturais no rio que proporciona um lugar imbatível para mergulhar no meio da natureza. La Cueva de Gato fica a cerca de 20 minutos de carro do centro de Ronda.


Setenil de las Bodegas

O que mais chama a atenção nesta vila gaditana é a forma como se desenvolveu num desfiladeiro mesmo por baixo de rochedos imensos escavados pelo rio. Aqui não se abriram grutas na rocha para criar as casas, antes foram aproveitadas as saliências resultantes da erosão.

Vale a pena passear pelas ruas brancas de Setenil de las Bodegas como a rua de las Cuevas de la Sombra e de las Cuevas del Sol para ver o engenho dos povos antigos e a sua adaptação à topografia local.



Setenil fica a uns meros 15km de Ronda.

Como chegar?

De carro: a melhor é ir até Sevilha e apanhar a A-376. Desde Arcos de la Frontera, a A-372 cruza a serra Grazalema, até Ronda. A A-369 liga Ronda a Algeciras. De todos estes locais, é possível aceder a uma boa rede de estradas locais, que atravessam a serra.

De comboio: a Renfe assegura ligações diárias a partir de Madrid, Ciudad Real e as principais cidades do Oriente Andaluz até Ronda.

Onde ficar?


Hotel El Tajo - Este hotel situa-se no centro de Ronda, onde apresenta quartos elegantes com ar condicionado, televisão por satélite e uma casa de banho privativa. Conta com uma recepção 24 horas e acesso Wi-Fi gratuito em todas as áreas.

Hotel Maestranza - O hotel está situado no coração histórico e comercial da cidade, de frente para a praça de touros mais antiga do mundo, onde nasceram as touradas.

 

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...