Translate

Promoção

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Roteiro: 8 dias na Islândia - A Terra do fogo e do gelo

A Islândia tem "apenas" 20 milhões de anos, nasceu em resultado de uma erupção vulcânica produzida nas profundezas do Oceano Atlântico. É chamada de “Terra do fogo e do gelo“, porque tem cerca de 200 vulcões, 30 dos quais estão ativos e 11% do seu território encontra-se coberto por glaciares.



A sua particular formação geológica permitiu a existência de maravilhosas paisagens e sobretudo, de abundantes geiseres, havendo mais de 600 distribuídos um pouco por toda a ilha, o que torna este país recordista na quantidade de vulcões e geiseres.

No verão, o sol brilha durante as 24 horas do dia, durante quase 3 meses!!



Reiquejavique ou Reiquiavique ou Reykjavík (em islandês) é a capital mundial localizada mais a norte. Mesmo assim a Noruega, a Suécia e a Finlândia têm territórios que ficam ainda mais próximos do Círculo Polar Ártico, mas nessas zonas não existe nenhuma capital.


Dia 1: Reiquejavique ou Reiquiavique ou Reykjavík

Explore o centro da cidade, com variados bares, restaurantes e museus para todos os gostos e caminhe pela Laugavegur, uma das ruas mais antigas e famosas para fazer compras na Islândia.



Visite a casa Höfði, onde em 1986 foi assinado o tratado de não-proliferação de armas nucleares entre Gorbachev e Ronald Reagan e que ditou o fim da guerra fria.
Segue-se a escultura em formato de barco viking – a Sólfar Suncraft.


Após cruzar o centro, pare em Hallgrímskirkja, a catedral luterana de Reykjavík. Esta igreja luterana tem um desenho lembrando o fluxo de lava a escorrer de um vulcão, subimos à sua torre para apreciar a fabulosa vista sobre a cidade e seus arredores.


Siga para o lago Tjörnin e para o Museu Nacional, o mais importante da Islândia e o ideal para uma breve introdução sobre a cultura viking.


Passe a noite em Reykjavík

Dia 2: O Circulo do Ouro

No chamado circulo do Ouro, encontram-se algumas das atrações mais populares da Islândia. Comece com uma visita ao Parque Nacional Þingvellir (Parque Nacional Thingvellir), foi declarado Parque Nacional ainda antes da independência, em 1928 e em 2004, foi considerado como património mundial pela UNESCO devido à sua importância histórica e às características tectónicas e vulcânicas.





Neste parque é possível visitar o local onde as placas continentais da América do Norte e da Eurásia se encontram para formar um vale de rift.
De seguida, no caminho fica a região geotermal de Haukadalur, onde poderá ver os geisers Geysir e Strokkur.




Situada 7 km de Geysir, Gullfoss é a cascata mais conhecida e visitada da Islândia, tão elegante quanto enorme. Formada por duas quedas d’água menores que se juntam no topo, formando uma enorme cascata com 21 metros de altura, num desfiladeiro com 2,5 km de comprimento.



Visite e antiga cratera de Kerið. É uma pequena cratera, formada há 6.500 anos, tem 55 metros de profundidade e as suas laterais possuem bonitos tons de vermelho, preto e ocre.

Continue o passeio até à costa sul, em direção Vik. Pelo caminho visite a cascata de Seljalandsfoss, que parece ter saído de contos de fadas e experimentar caminhar por trás da queda d’água.




De seguida visitar a cascata Skógafoss, com seus 60 metros de altura, que se encontra a poucos minutos da estrada principal, subir as escadas e admirar a vista magnífica. É algo espetacular!



Em seguida, continue até a vila de Vik pernoite por lá.

Dia 3: Parque Nacional Vatnajökull

Aproveite o dia em Skaftafell, parte do imenso Parque Nacional Vatnajökull, é um lugar de grande beleza natural com muitos e interessantes trilhos para caminhada, incluindo um curto caminho até à cascata Svartifoss ("a cascata negra"), onde se passa por outras duas cascatas, a Hundafoss e a Magnusarfoss.





Passe a noite na região de Vatnajökull.

Dia 4 e 5: Lago Mývatn e arredores

Visite a região do lago Mývatn, local de paisagens vulcânicas como a passagem de Namaskarð, as pseudocrateras de Skútustaðagígar, as formações vulcânicas de Dimmuborgir e o Krafla, um dos mais interessantes vulcões da Islândia.




Mais tarde, relaxe bastante após um dia inteiro de viagem nas calmas águas geotermais dos Banhos Naturais Mývatn.


No dia seguinte, faça um desvio pela parte do imenso Parque Nacional Vatnajökull ao norte, chamada Jökulsárgljúfur, para visitar locais como o desfiladeiro Ásbyrgi e a Dettifoss, a mais poderosa cascata da Europa.



Outra opção é fazer um passeio de observação de baleias em Húsavík, “a capital de observação de baleias da Europa.

Dia 6: Akureyri e a península dos trolls

Antes de chegar a Akureyri, uma charmosa cidade com uma grande variedade de lojas e museus, bem como o jardim botânico mais a norte do mundo, faça uma paragem em Goðafoss (“a catarata dos deuses”), com 12 m altura e 30 m de largura, e que transporta a água do rio Skjálfandafljót proveniente do glaciar Vatnajökull.



Continue em direção a Skagafjörður, um vale conhecido por sua abundância de cavalos da raça islandesa, também passará por Tröllaskagi (“península dos trolls”), e pelas antigas vilas piscatórias de Siglufjörður e Hofsós, onde poderá apreciar um cenário belíssimo a partir da piscina termal da vila.



Passe a noite na imediações de Blönduós.

Dia 7 - Oeste da Islândia

Explore o oeste da Islândia, incluindo o museu da colonização islandesa em Borgarnes e também Deildartunguhver, a maior fonte termal da Europa. Mais adiante, faça uma paragem nas belas cascatas Hraunfossar e Barnafoss.



As cascatas Hraunfossar ("Cascatas de Lava") são um conjunto de várias quedas d’água com um quilómetro de comprimento. A água sai da rocha vulcânica numa das margens do rio Hvitá. As cascatas originam-se em fontes de água fria e aparecem por entre as árvores, criando a impressão de uma escultura de água gigantesca.


Desde Hraunfossar, percorra um pequeno trilho  quelevará até Barnafoss ("Cascata das Crianças"), onde é possível observar um desfiladeiro com o rio a passar bem lá em baixo. O nome da cascata tem origem na história de duas crianças que teriam caído e morrido no local. Até hoje o espírito da mãe das crianças circula pelo lugar a procurar pelos seus filhos.


Os que gostam de História devem continuar e fazer uma visita ao Snorrastofa, um instituto de pesquisa medieval em Reykholt, onde o antigo colonizador Snorri Sturluson escreveu a saga Heimskringla, no século XIII.
No caminho de volta para Reykjavík, faça uma paragem em Fossatún, uma cascata que dizem ser protegida por uma mulher troll chamada Drifa.

Passe a noite em Reykjavík.

Dia 8 - Regresso a casa

Se seu voo for à tarde, poderá visitar ao spa geotermal da Lagoa Azul ou até mesmo fazer um passeio guiado pela Península Reykjanes. As principais cidades (Keflavík, Njarðvík e Vogar) ficam na parte norte da península Reykjanes. O resto de todo o local é desabitado e tudo o que há é natureza. Próximo ao aeroporto internacional, a noroeste, ficam alguns aldeias pesqueiras (Garður e Sandgerði), lugares "perdidos" onde é possível fazer observação de pássaros.




A partir de uma estrada também saindo de Keflavík é possível seguir o litoral, ver penhascos e formações de lava bizarras em Reykjanestá.


 
Quando visitar?

A melhor época para visitar a Islândia é no Verão, ou seja entre junho e agosto, quando os dias são mais longos e as temperaturas médias diárias variam entre 10ºC e 13ºC.

A Islândia tem uma época alta que vai de junho a agosto. É neste período do ano que o país recebe mais turistas e os preços dos hotéis e das passagens aéreas costumam ter mais elevados do que no resto do ano, ou seja, se quiser viajar neste período, é aconselhável fazer a reserva dos voos e dos quartos de hotel com pelo menos dois meses de antecedência.

Setembro e maio também podem ser uma boa opção para visitar a Islândia. Nestes meses, as temperaturas ainda não demasiado baixas, há menos turistas, e os preços do alojamento e das viagens de avião são menores.


Como ir?

A melhor forma de chegar à Islândia, é de avião. Praticamente todos os voos internacionais chegam no Aeroporto Internacional de Keflavík (KEF), que fica a cerca de 50km de Reykjavík. Um voo dura em média 3 horas a partir da Europa continental, e cinco horas a partir dos Estados Unidos.


Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...