Translate

Promoção

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Roteiro: Sri Lanka, a "Pérola do Oceano Índico" em 15 dias.

Considerada por Marco Polo a ilha mais bonita do Mundo com magníficas praias de areia branca banhadas por águas quentes. O Sri Lanka, conhecido pela forma portuguesa equivalente, Ceilão, adotada pelo país até 1972, é também, pelo clima e diversidade de ecossistemas, a ilha do chá, das florestas tropicais, de vulcões e de zonas que lembram as savanas africanas. No seu património histórico ainda se encontram presentes vestígios da passagem portuguesa pela ilha.


Colombo

Colombo é a capital do Sri Lanka, uma cidade portuária, com uma rica herança colonial, situada na costa ocidental, é uma miscelânea de raças, religiões e culturas. Colombo apresenta o melhor e o pior que o país tem para oferecer. A cidade é em si um contraste, com mansões, jardins exuberantes, shoppings repletos de marcas caras, e mesmo ao "lado" encontram-se favelas, estradas congestionadas e mercados de rua.
Se tiver pouco tempo para conhecer a cidade, melhor maneira é andar no autocarro turístico (http://www.colombocitytours.com/).

Pinnawala / Anuradhapura

Em Pinnawala, fica um dos lugares mais procurados do país, o Orfanato dos elefantes de Pinnawala (Pinnawala Elephant Orphanage). É o maior do mundo e situa-se a aproximadamente a 90 quilómetros da cidade de Colombo. O orfanato foi criando com o principal objectivo de cuidar dos elefantes órfãos (filhotes) que eram e ainda são encontrados pelo país.
O momento mais esperado da visita, é a hora do banho, onde todos são levados para o rio Maha Oya e ficam lá cerca de 2 horas. O banho ocorre duas vezes ao dia, uma na parte da manhã (entre 10 horas e 12 horas) e a outra na parte da tarde (entre 14 horas e 16 horas). Para ter acesso ao espaço, é preciso ter bilhete de entrada do orfanato, no valor de aproximadamente US$18 (adulto) e US$9 (crianças).



Anuradhapura, a primeira capital do Sri Lanka, fundada há 5000 anos e ostentando a enorme estrutura em tijolo de Jetavanaramaya Dagoba e a sagrada “árvore mais velha do mundo”, a Sri Maha Bodhi. A cidade está classificada como Património da Humanidade pela UNESCO.
Em Anuradhapura, não vale a pena pagar os 25 USD para visitar os templos poruqe consegue ver alguns deles sem pagar, passeando de bicicleta e outros pode ver de fora, o que já é suficiente.



Trincomalee

Trincomalee (Trinco) passou tempos difícies na guerra, mas esta cidade fascinante está começando a prosperar novamente. Situada num dos melhores portos naturais do mundo, Trincomalee é possivelmente o local da histórica Gokana no Mahavamsa (Grande Chronicle). A maioria das pessoas apenas passam pela cidade no caminho para as praias próximas de Uppuveli e Nilaveli, mas a cidade tem algum charme, muita história e uma mistura interessante de pessoas.
O excelente porto de águas profundas de Trincomalee tornou-o alvo de todos os tipos de ataques ao longo dos séculos. Hoje, as forças armadas do Sri Lanka controlam Fort Frederick, juntamente com o aeródromo britânico China Bay, ao sul.
Possibilidade de fazer mergulho (em particular na Pigeon Island).




Polonnaruwa/Sigiriya/Dambulla

Polonnaruwa foi a segunda capital do Sri Lanka, após a destruição de Anuradhapura em 993. Ela compreende, além dos monumentos construídos pelo Brahmanic, as ruínas monumentais da fabulosa cidade-jardim criado por Parakramabahu I, no século 12.

Nas redondezas de Polonnaruwa está Sigiriya, uma montanha que serviu como mosteiro nos séculos I e II a. C. e posteriormente transformou-se na fortaleza do reino Ceilão.
Do alto dos seus 370 metros de altura, avista-se uma bela paisagem da selva tropical do Sri Lanka, com alguns pontos esbranquiçados, formado por estátuas de budas. É preciso fôlego para subir os mais de mil degraus que conduzem ao topo, mas sem dúvida, a vista compensa e a companhia omnipresente dos macacos também!
Sigiriya foi classificada pela UNESCO como “Património da Humanidade”.



Em Dambulla encontra-se o enigmático Templo Dourado, construído num complexo de 80 cavernas, das quais 5 estão completamente decoradas com frescos coloridos e mais de 100 imagens de budas. Desde o século III o local era tido como sagrado, inicialmente hindu e posteriormente budista.




Matale/Kandy/Nuwara Eliya/Ella

Os Jardins de especiarias de Matale, são uma floresta de cheiros, que nos estimula todos os sentidos. Aqui, pode ver-se, além de uma enorme variedade de especiarias, como as mesmas são processadas e a sua posterior aplicação culinária ou medicinal.
Nestes jardins aprende-se, entre outras coisas, que o caril não é só um pó amarelo mas, sim, uma mistura de especiarias que varia consoante o prato de carne ou de peixe.
Horário: 9h/17h.

A cidade real de Kandy foi fundada no século XIV e já foi a capital do Sri Lanka. É conhecida pela sua beleza natural e arquitectónica. Cercada de templos budistas, é um dos principais centros de peregrinação do país. O mais famoso templo guarda uma importante relíquia religiosa: o dente de Buda.

A viagem para Nuwara Eliya é, em si própria, uma atracção, com belíssimos cenários das montanhas verdes das infindáveis plantações do melhor chá do mundo. Nuwara Eliya, uma encantadora localidade com evidentes influências coloniais britânicas.


No caminho para a vila montanhosa de Ella, vais passar por paisagens deslumbrantes como a Cascata de Rawana ou o Adam’s peak, uma montanha sagrada para a a religião budista, sendo também considerado um dos locais onde Adão terá vivido, depois da sua "queda" dos Jardins do Éden.
Se você pretende escalar o Adam’s peak lembre-se de nunca ir no final de semana ou em feriados de lua cheia, uma vez que, sendo um monte com forte significado religioso muitos peregrinos locais fazem a subida e fica tudo lotado!



Kataragama (Parque Nacional de Yala)

Kataragama é uma cidade santa e uma atraente mistura de pompa e procissão, piedade e extravagância religiosa. Junto com Adam Peak (Sri Pada), este é o local de peregrinação religiosa mais importante no Sri Lanka e é um lugar sagrado para os budistas, muçulmanos e hindus. Muitos acreditam que o Rei Dutugemunu construíu um santuário para Kataragama Deviyo (o deus residente) no século 2 aC.
No Parque Nacional de Yala, no extremo sudeste do Sri Lanka, vive a maior população de leopardos no mundo. Aqui são feitos safáris que podem variar desde meio dia a dois dias. Existem várias entradas, onde se podem observar um grande número de aves aquáticas, especialmente no Pântano Kumana. Outros animais no parque são elefantes, crocodilos, águias e veados.

Parque Nacional de Uda walawe

O Parque Nacional Uda Walawe situa-se em torno de uma represa e é um paraíso para os elefantes. De todos os parques do país é o mais semelhante à savana Africana com manadas de elefantes, búfalos e javalis. A melhor época para safaris são o amanhecer e o entardecer, durante a estação seca (fevereiro a abril), quando se podem ver os animais nos seus lugares favoritos para beber água.

Praias de Mirissa, Galle, Bentota, Beruwala, Kalutara, Wadduwa

A sul de Colombo, que também é chamado de "Gold Coast" encontra-se repleto de resorts que se estende desde Mt. Lavinia (um subúrbio de Colombo) e continuando até Hambantota. As praias são mais arenosas e menos abruptas.

Mirissa Beach - Situado ao longo da estrada Matara 4 km ao sudeste de Weligama, Mirissa é conhecida como uma das mais belas praias do país na área costeira do sul de Sri Lanka. Seu promontório separa um pequeno porto de pesca da sua bela curva de praias de areia, com águas calmas e claras. Mirissa é a alternativa para umas férias mais tranqüila praia ao contrário de Unawatuna ou Hikkaduwa.



Galle Beach - Férias na praia no Sri Lanka seria um pouco incompleta sem uma viagem para Galle. Localizada a sul de Colombo, Galle é um dos mais importantes da cidade sul Oferecendo aos hóspedes um charme oldworld. As fortes muralhas do Forte holandês foram considerados Património da Humanidade pela UNESCO.



Bentota Beach - Localizada a sul de Colombo, ao longo da costa sudoeste, a Praia Bentota consiste num complexo de resorts e vilas.

Beruwala Beach - Beruwala marca o início de uns 130 km de praia onde o desenvolvimento de resorts deram passos enormes nos últimos anos.

Kalutara Beach - A menos de duas horas e meia de carro do aeroporto, Kalutara é uma cidade pequena, mas animada, que se encontra ao longo da costa oeste de Sri Lanka e é bem conhecido por sua icônica Gangatilaka Viharaya, um dos poucos monumentos budistas que permitem a entrada e um verdadeiro destaque a pena visitar. Mercados e lojas pequenas, juntamente com alguns estabelecimentos modernos compõem esta cidade à beira-mar e é sempre uma visão fascinante para ver os moradores negociar diversos produtos de produtos de fibra de coco para peixes e legumes frescos. As praias douradas de Kalutara estão cercadas por magníficas palmeiras, são excelentes para a natação e para desfrutar do sol e areia.



Wadduwa Beach - Situada ao longo da costa oeste do Sri Lanka, a 22 km a sul de Colombo, Wadduwa é bem conhecida pelas suas praias preservadas, bem como as plantações de coco. A cidade também é conhecida pela venda de produtos feitos a partir de fibra de coco como tapetes e vassouras.



Ratnapura

Situada em vales bem irrigados, entre o Pico de Adão e Reserva Florestal de Sinharaja, Ratnapura ('City of Gems "em sânscrito) é um centro de comércio antigo famoso pela pedras preciosas da região.
Os arredores da cidade encontram-se várias minas de pedras preciosas e a maioria das pousadas e hotéis podem organizar visitas.
Também é possivel observar comerciantes de jóias junto a Saviya St, a nordeste da torre do relógio. O maior mercado de jóias local, reúne-se quase todas as manhãs em Newitigala, a 40 minutos de distância de carro.

Negombo

Negombo Beach - É uma típica vila piscatória, situada a 37 km a norte de Colombo, e apenas a 6 km de distância do Aeroporto Internacional de Bandaranaike. Situado no meio de bosques exuberantes de coqueiros, a cidade respira o espírito do mar. Negombo é um paraíso gourmet com abundância de frutos do mar frescos.



Como se deslocar?

Utilizar os transportes público é a melhor opção, existe um grande de leque opções saindo diariamente para todos os cantos do país e sem necessitar de reservar com antecedência. No entanto, uma viagem de 200 km dura cerca de 6 horas.

Dica: A viagem de comboio de Colombo a Kandy ou vice-versa é obrigatória. Colombo é a cidade de entrada e saída do país e Kandy é a capital cultural.

O comboio de Colombo a Kandy dura cerca de três horas e é, sem dúvida, uma das melhores partes da viagem. Os vagões que parecem querer descarrilar a todo momento são velhos e barulhentos e o ventilador no tecto só serve para decorar e do lado de fora as casas paupérrimas construídas a centímetros da linha de comboio.

Quando a noite cai, as atenções voltam-se mais para o que acontece dentro do comboio. Metade das luzes é fraca, a outra metade não funciona. Comerciantes saltam para dentro e fora da embarcação a todo instante, independente da velocidade, da proximidade das estações independentemente do tamanho das cestas que carregam na cabeça.

Os horários, ao contrário dos autocarros, são respeitados. Neste site (em inglês) há uma tabela para esta e para outras linhas de comboio no Sri Lanka, explicando a diferença entre vagões e classes. Pense duas vezes antes de economizar: a primeira classe não é todo dia (dá para reservar com antecedência pelo site do Rajadhani Express). Se estiver lotada, a segunda ainda te dá o direito a sentar, mas a terceira classe é apertada e concorrida.

Dica: Experimentar a comida dos hotéis e pousadas. Quase todos tem seu respectivo restaurante, que é aberto mesmo para quem não está hospedado. Além disso, a comida servida em buffets é mais fácil para experimentar, porque dá para ver antes de comer!

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...